EVOCAÇÕES DO CINQUENTENÁRIO DO FALECIMENTO DE DELFIM SANTOS (1966-2016)

cartaz_delfim_santos

Motivação:

Quando Delfim Santos faleceu em Cascais, em 25 de setembro de 1966, os seus funerais transformaram-se numa sentida e concorrida homenagem de alunos e de colegas. Foi uma perda que teve grande impacto por ter sido sentida como inesperada e precoce, quer pela sua idade, 58 anos, quer pelo muito que haveria ainda a esperar de um dos mais carismáticos e dialogantes mestres da Universidade portuguesa.

Hoje, passado meio século sobre o infausto acontecimento, vão partindo os que o conheceram pessoalmente e a dimensão humana do pensador portuense arrisca-se a ser perdida.

Chegou o momento de abrir a pesquisa para novas temáticas, onde um pensamento que tem conhecido alguma fortuna crítica em Portugal e no Brasil encontre agora renovada expressão no trabalho sobre as fontes biográficas, documentos oficiais, vida social e novas áreas, além da Filosofia e da Pedagogia, como as da Psicologia e da Literatura.

Surpresa e inovação são as linhas mestras destas evocações:

  • não tanto Delfim Santos filósofo, já estudado, mas mais o psicólogo e caracterólogo, que têm ficado na sombra;
  • não tanto o pedagogo, mas mais o professor liceal e o polemista sobre temas do ensino, menos conhecido;
  • não somente o professor, mas também o cronista na imprensa, numa espécie de “aula alargada”;
  • não apenas o homem de cultura, mas sobretudo o apaixonado leitor e crítico da literatura e até do cinema.

Objetivos:

  • Proceder ao levantamento do Estado da arte nos estudos sobre Delfim Santos de 1966 até hoje;
  • Suscitar renovado interesse pela obra delfiniana;
  • Relançar a personalidade de Delfim Santos, revelando um pensador de interesses mais vastos do que aqueles até aqui trabalhados;
  • Publicar dossiers epistolares e biográficos;
  • Lançar novas temáticas e linhas de pesquisa.

Novos temas em foco:

  • Delfim Santos professor liceal;
  • Delfim Santos e o leitorado na Alemanha;
  • Delfim Santos e a Faculdade de Letras de Lisboa.

Obras para estudo:

  • Fundamentação Existencial da Pedagogia;
  • Temática da Formação Humana;
  • Linha Geral da Nova Universidade;
  • A intervenção de Delfim Santos na imprensa periódica.

Exposições:

  1. BNP – Exposição de 23 de setembro a 30 de dezembro de 2016;
  2. BFLUL – Exposição de 19 de setembro a 7 de outubro de 2016;
  3. Hemeroteca Digital – Exposição virtual e física em setembro de 2016 e depois em arquivo.

a) PRIMEIRA TARDE DE SEXTA-FEIRA COM DELFIM SANTOS,  BIBLIOTECA NACIONAL DE PORTUGAL, 21 DE OUTUBRO, 15:30H – 18:25H:

  • (15:30 às 16:00) – Visita Guiada à Exposição;
  • (16:00 às 16:30) – Artur Manso – Delfim Santos: considerações sobre poesia e pensamento abstrato;
  • (16:30 às 17:00) – Samuel Dimas – A crítica de Delfim Santos à interpretação monista da realidade operada pelo Positivismo;
  • (17:00 às 17:30) – Francisco Miguel Araújo – Delfim Santos e o espectro da 1.ª Faculdade de Letras do Porto;
  • (17:30 às 18:00) – José Maurício de Carvalho – Delfim Santos, a arte e a vida no diálogo com Ortega e Karl Jaspers;
  • (18:00 às 18:25) – Renato Epifânio – Apresentação de Nova Águia, 18.

b) COLÓQUIO «DELFIM SANTOS E A EDUCAÇÃO», INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA, ANFITEATRO 2, 28 DE OUTUBRO, 14:30H – 18:00H: 

  • Conferência de abertura
    António Nóvoa – Delfim Santos e a Educação;
  • Mesa-redonda
    Áurea Adão – O Centro de Investigação Pedagógica da Fundação Calouste Gulbenkian: uma conceção de Delfim Santos;
    Margarida Borges Ferreira – Delfim Santos e a introdução da Filosofia da Educação no debate pedagógico nacional;
    Joaquim Pintassilgo – Delfim Santos, o Liceu e a Formação de Professores;
    Justino Magalhães (Moderação e comentário)
  • Conferência de encerramento
    Manuel Ferreira Patrício – Amplitude e alcance do conceito de «formação humana» no pensamento filosófico pedagógico de Delfim Santos.

c) SEGUNDA TARDE DE SEXTA-FEIRA COM DELFIM SANTOS, BIBLIOTECA NACIONAL DE PORTUGAL, 4 DE NOVEMBRO, 15:30H – 18:00H:

  • (15:30 às 16:00) – Visita Guiada à Exposição;
  • (16:00 às 16:30) – Rui Lopo – A propósito da correspondência de Agostinho da Silva com Delfim Santos;
  • (16:30 às 17:00) – Maria Teresa Santos – Uma plataforma para discussão filosófica da formação humana;
  • (17:00 às 17:30) – Mário Carneiro – Delfim Santos e Fidelino de Figueiredo: um diálogo possível;
  • (17:30 às 18:00) – Joaquim Pinto – Itinerarium Ego Sum: Processo dramático de personalização em Delfim Santos.

d) SESSÃO EVOCATIVA DO DIA DO PATRONO, ESCOLA PROFESSOR DELFIM SANTOS, 7 DE NOVEMBRO, 17:00H:

  • Evocando a vida e a obra do Professor Delfim Santos – Maria de Lourdes Sirgado Ganho.

e) CONFERÊNCIAS DE ENCERRAMENTO DO ANO DO CINQUENTENÁRIO DELFINIANO NA BIBLIOTECA NACIONAL DE PORTUGAL, 16 DE DEZEMBRO, 16:00H às 18:00H:

  • (16:00 às 16:30) – Visita Guiada à Exposição;
  • (16:30 às 17:00) – Manuel Cândido Pimentel – Delfim Santos e a noção de cultura;
  • (17:00 às 17:30) –  António Braz Teixeira – Delfim Santos e o Direito;
  • (17:30 às 18:00) –  Pinharanda Gomes – Delfim Santos e São Tomás de Aquino.

Publicações previstas:

  • Correspondência entre Fidelino de Figueiredo e Delfim Santos – já publicada;
  • Correspondência entre Agostinho da Silva e Delfim Santos;
  • Correspondência entre Joaquim de Carvalho e Delfim Santos;
  • Correspondência entre Delfim Santos e o grupo da presença;
  • Volume 3 da revista Delfim Santos Studies;
  • Catálogo da exposição da Biblioteca Nacional de Portugal em e-book.

Presidência de Honra:

  • M.ª Manuela de Sousa Marques Pinto dos Santos (†)

Comissário Nacional:

  • António Braz Teixeira

Comissário da exposição na BNP:

  • Filipe Delfim Santos

Comissão Organizadora:

  • Jesué Pinharanda Gomes
  • João Carlos Oliveira
  • Joaquim Pintassilgo
  • Joaquina Cunha
  • José Maurício de Carvalho
  • José Pedro Serra
  • Justino Magalhães
  • Manuela Rêgo
  • Maria de Fátima Lopes
  • Maria Ondina Pereira Gonçalves
  • Mário Carneiro
  • Olga Pombo
  • Pedro Estácio Santos
  • Renato Epifânio
  • Rui Lopo

Apoios:

  • Biblioteca da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
  • Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra
  • Biblioteca Nacional de Portugal
  • Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa
  • Escola Professor Delfim Santos
  • Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
  • Fundação Calouste Gulbenkian
  • Hemeroteca Municipal de Lisboa
  • Instituto de Educação da Universidade de Lisboa
  • Instituto de Filosofia Luso-Brasileira
  • Revista Delfim Santos Studies
  • Revista Nova Águia

CHAMADA DE APRESENTAÇÕES

A Comissão Organizadora das Evocações do Cinquentenário do Falecimento de Delfim Santos anuncia uma

CHAMADA DE APRESENTAÇÕES 

para as diversas sessões que decorrerão durantes os meses de Outubro a Dezembro de 2016, em vários locais.

Os interessados deverão fazer chegar as suas propostas para o endereço: arquivodelfimsantos@gmail.com

com indicação do título, tema em que se insere e breve resumo

até ao dia 15 de julho de 2016.

resenha do professor Mário Carneiro ao livro da correspondência entre Fidelino de Figueiredo e Delfim Santos

capa_frenteMeu caro Filipe,

Em relação à publicação da correspondência entre FF e DS, que só após o meu regresso do Brasil pude ler: o seu texto faz uma boa introdução ao conteúdo geral da correspondência, enfatizando alguns aspectos pertinentes e fornecendo informação complementar útil.
Ainda que do ponto de vista do conteúdo (filosófico ou literário) não haja muito de relevante a salientar, as cartas mostram bem o elevado respeito e admiração que estes dois autores nutriam pelo labor intelectual um do outro. Mostram também como partilhavam a divergência em relação à cultura dominante no nosso meio académico (fechada, dogmática, administrativa) e o distanciamento em relação à cultura dominante nos Estados Unidos.
A leitura desta correspondência permite, a um leitor menos informado sobre o percurso intelectual de DS e de FF, formular uma ideia das vivências e dos contactos que cada um deles desenvolveu, em várias universidades estrangeiras.
Felicito-o por mais esta sua publicação.
Mário Carneiro
Investigador do Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa e do Instituto de Filosofia da Universidade do Porto

acaba de sair a correspondência entre fidelino de figueiredo e delfim santos

Fidelino

Correspondência entre Fidelino de Figueiredo e Delfim Santos – de 1934 a 1957.

Acaba de sair mais uma edição da correspondência de Delfim Santos, desta feita com um dos raros scholars a quem ele concedeu o título de mestre: Fidelino de Figueiredo (1888-1967), historiador da literatura, crítico literário e teórico da literatura comparada.

Uma correspondência plena de humanidade, de partilha, de confidências, entre dois homens separados por uma geração, por vezes habitando continentes diferentes, mas unidos pelo mesmo amor às letras e à cultura portuguesas.

Disponível em: Amazon